O Jardim do Universo

cadeira

A folha seca encosta na flor e deixa rastros que a satisfazem. Na pequenina, perdura alguns cortes incuráveis e incapazes de sangrar. Cheirando rosas amarguradas, a impiedosa maldade cerca as ruas gritantes de dolorosa cidade, que por mera humildade se fecha em um mundo sombrio, cercado por pedras e espinhos. Não adianta negar que a flor chorou sem saber chorar. Rindo dela o jardim comemorou por naquele dia a tristeza não ter se manifestado em nenhum deles. Somente a pobre flor, sem nome, nem nada, sofreu com a dor de não ser amada.

Kariane

Anúncios

8 comentários sobre “O Jardim do Universo

  1. Seu texto me inspirou a te dar uma resposta poética.
    No jardim do universo… há de florir a beleza e exalar seu perfume peculiar… quando em sua própria terra enraíza, quando reconhece em si a seiva da vida, aceita-se flor e se cultiva… quando após a secura do longo e rigoroso inverno… olha para a primavera, sabendo que tudo que é ilusório passa e logo virá o verão… e há sim estações em nosso mundo, mas há uma natureza que perene na fonte de qualquer estação… há sol e lua que regem a nossa natureza pura… deixa o rio correr e purificar as dores da alma, as memórias feridas que se fazem nuvens… o céu é azul acima das nuvens, permita-se voar e encontra-se na paz que nasce com todos nós.
    Bom frequentar sua feira! Um abraço. ;D

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s